sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Expedição Inti & Killa II - últimos dias

No dia anterior havíamos ingressado na Argentina, após um rápido trajeto de dois dias pela Bolívia. Não cheguei a comentar no post anterior, mas novamente as atividades de fronteira, a quinta da viagem, foram cansativas. Tanto do lado boliviano como no lado argentino ficamos esperando bastante tempo até descobrir onde, quando e quem iria nos atender. Mas acima de tudo, estávamos felizes por regressar à Argentina, país pelo qual criamos grande afeição desde a nossa primeira visita em 2005.
Pernoitamos em Tilcara e não tivemos horário para acordar, pois o dia anterior tinha sido bem exigente e era necessário um bom descanso. Pela manhã fizemos tudo em ritmo tranquilo, tomamos nosso café na santa paz e partimos da hosteria na direção de Salta sem muita pressa. Aproveitamos para visitar a boa feira de artesanato no centro de Tilcara, fazendo compras de algumas lembranças para a família e amigos.
De Tilcara fomos rapidinho até Salta, pois a distância é de apenas 163 quilômetros. Chegamos logo no início da tarde e de cara aproveitamos para abastecer o carro, já pensando na preparação da etapa de retorno. Depois de abastecer ainda gastamos quase uma hora até conseguirmos um hotel próximo do centro histórico da cidade, pois queríamos fazer os passeios à pé, sem depender do nosso jipe. Terminamos conseguindo hospedagem no Hotel Bonarda, localizado a tão somente duas quadras da Plaza Central! Esse hotel foi um dos melhores da viagem, de boa categoria e destacado pelo atendimento cordial de seus funcionários. Suas instalações são interessantes, pois apresentam uma combinação harmoniosa entre o estilo tradicional e a decoração moderna, tudo reunido numa casa histórica de princípios do século passado.
Resolvidas as questões de ordem prática, fomos às "calles"! Salta, "La linda", já era nossa conhecida da viagem ao Atacama, em 2007. Como a cidade tinha deixado uma impressão muito boa daquela época, resolvemos incluí-la em nosso roteiro, porém com um propósito bastante específico: conhecer os "Los Ninõs del Volcán Llullaillaco" no Museo de Arqueologia de Alta Montaña. Os "ninõs" são três das mais perfeitas e impressionantes múmias já encontradas por arqueólogos, seja aqui na América do Sul ou em qualquer outro lugar do mundo! Essas crianças foram oferecidas em ritual inca de sacrifício, no cume do vulcão Llullaillaco, em plena Cordilheira dos Andes, a 6.730 metros de altitude! Pois além dessas múmias serem das mais impressionantes já encontradas pela humanidade, o conjunto de roupas e objetos que elas portavam em seus túmulos está intacto e preservado. Esse foi um dos pontos altos da viagem e foi muito emocionante conhecer toda a história que envolveu essas crianças. Tivemos a oportunidade de conhecer "La Niña del Rayo", uma vez que elas nunca são apresentadas juntas, havendo a cada três meses a troca no expositor especial que as mantém em condições ambientais controladas. Também toda a coleção do museu é muito rica e compensa  gastar no mínimo umas duas horas para a visitação.
Após a visita ao museu entramos na "fase de relaxamento final". Sentamos num dos cafés da linda Plaza de Armas e pedimos uma cerveja Salta "rubia" bem gelada. Sim, por aqui tem uma cerveja local que vale experimentar! Ficamos por ali, batendo um papo, curtindo o visual dos prédios históricos e rememoramos os lindos momentos dessa expedição que estava terminando com sucesso.
Nos três dias que se seguiram, 23, 24 e 25 de setembro, percorremos os 1.800 quilômetros de estrada que nos separavam de Porto Alegre. Nesse trajeto vencemos o Chaco, considerado aborrecido por muitos, e pernoitamos na cidade de Presidencia Roque Sáenz Peña, uma ótima referência com muito boa estrutura para viajantes nessa região. Tivemos mais um pernoite já no Brasil, na cidade de Santana do Livramento, e no terceiro dia concluímos com extremo contentamento mais uma fantástica viagem por esse  fabuloso continente, a América do Sul. 
Com este post eu encerro o relato da viagem e agradeço imensamente a todos aqueles que visitaram o blog e leram essa nossa história. Agradeço em especial os comentários, os elogios às fotografias e todo o incentivo que recebemos dos seguidores e de blogueiros que nos acompanharam. Peço desculpas por erros que eu tenha cometido no uso da linguagem escrita ou pela demora em postar as informações, pois o intento era fazer a viagem e ir relatando durante o seu desenrolar. Só que eu descobri que na prática isso é muito dificil, começando pelas conexões de internet que nem sempre são boas. Assim os atrasos foram se acumulando nas postagens e depois, na volta ao trabalho, faltava tempo para colocar os textos em dia. Mas mesmo assim, com todas as dificuldades, valeu a experiência! 
Nos próximos posts pretendo abordar alguns assuntos que continuo estudando a respeito de Machu Picchu e os segredos que envolvem o seu descobrimento. Aos poucos também pretendo completar posts das outras viagens que fizemos. Abraços a todos, Feliz Natal e Próspero 2011!


"La Doncella" - Autoria desconhecida.
"El Niño". Autoria desconhecida.


"La Niña del Rayo" - Autoria desconhecida.

Cafés na Plaza de Armas - Salta

Vai uma Salta "Rubia"?
Quem disse que o Chaco não pode ser bonito?

2 comentários:

Claudio disse...

Sejam bem-vindos à Porto Alegre! Após uma boa viagem como essa, cheia de aventuras e encantos, nada melhor do que chegar em casa, não é mesmo? Mas já planejando a próxima...
Já faz tempo que pretendo fazer uma viagem à Salta, mas com o primordial objetivo de andar no Tren de las Nubes, agregando um pouco de Atacama. Com teu blog, chego a me entusiasmar em locar um carro em BA e rodar até Salta.
Seja como for, fica um abraço e votos de um Feliz 2011, com muitas realizações.
Cláudio
http://fotografiaeambiente.blogspot.com/
http://www.flickr.com/photos/claudioarriens

Carol disse...

Olá! Vamos trocar links?
www.contandoviagem.com
faleconosco@contandoviagem.com
Abraço!
Caroline

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...